SEICOM    17/11/2011
Mudanças no imaginário é tema de abertura do Seminário Internacional
por Júlia Lewgoy

Na noite desta quarta-feira, 16, ocorreu a abertura do Seminário Internacional de Comunicação (SEICOM), promovido pela Faculdade de Comunicação Social (Famecos), no auditório do Prédio 40 da PUCRS. Na mesa, estavam presentes o reitor da Universidade, Ir. Joaquim Clotet, a diretora da Faculdade de Comunicação Social (Famecos), Mágda Cunha, o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Juremir Machado da Silva, e o coordenador geral do evento, Carlos Gerbase.  Os conferencistas franceses Jean-Bruno Renard e Georges Bertin discutiram o imaginário urbano, incluindo no debate o papel das novas tecnologias.

A professora Mágda agradeceu o esforço de todos os envolvidos na organização. O coordenador Gerbase, professor de Cinema, comparou o Seminário a um documentário. “Bom não é aquele que traz todas as respostas, mas sim o que sabe fazer perguntas”, disse. O reitor Clotet destacou que o SEICOM é uma reflexão partilhada por diferentes áreas, que reforça o entendimento do quadro complexo da comunicação midiática na atualidade.

Lembrando o centenário do visionário Marshall McLuhan, o mediador Juremir Machado abriu as apresentações da noite.  O pesquisador Jean-Bruno Renard, professor da Universidade Paul-Valéry – Montpellier III, sustentou que é comum espalharem-se boatos logo após o início de um progresso. Em estudos de caso, ele constatou que há uma tendência de atribuir perigos às novas tecnologias. O autor citou alguns exemplos, como os discos voadores nazistas que aterrorizavam a população ou o videogame que provocava crises de epilepsia. Em continuidade, indicou também uma reportagem do New York Times, que em 1998 divulgava que a cura do câncer seria descoberta em dois anos, e disse que a publicidade propõe constantemente produtos miraculosos. “As narrativas contemporâneas urbanas surgem das lendas tradicionais. O técnico é o sucessor do mágico”, explicou.


Fazendo um paralelo entre a obra de McLuhan, de 1962, e a de François Rabelais, do Renascimento, o antropólogo Georges Bertin disse que ambos participaram de momentos de virada da civilização. Tanto o início da era digital quanto a ruptura da linguagem oral para a escrita originaram uma nova relação social e desestruturaram o imaginário. O pesquisador comparou a sociedade agrícola, a modernidade e a pós-modernidade, e concluiu que a valorização dos sentidos foi modificada. Enquanto a sociedade industrial valorizava a visão, hoje a digital é multisensorial. Bertin afirmou que, na nova era da comunicação, houve a fusão do espaço e das funções, e por isso temos a consciência acelerada e a necessidade de explicar tudo. “Estamos certamente muito no início de um novo começo”, sugeriu.


 

 
 
 Veja também:
      Projeto MiniCurtas, da RBS, está com inscrições abertas
      Período de matrículas para 2013/1 começa na segunda-feira (7)
      Portal Eu Sou Famecos de cara nova
      Espaço Experiência participa de 3º Colóquio de Agências Experimentais
      Famecos anuncia mudanças nos cargos de gestão
 Ver todas as notícias
 
 voltar ao topo
 
« Voltar para a página anterior
Av. Ipiranga, 6681 - Prédio 7 - Sala 106
Partenon - Porto Alegre/RS - CEP 90619-900
Fone 51 3320.3569 r. 4121 - espacoexperiencia@pucrs.br